Senado deve da urgência ao impeachment

Para o senador peemedebista, o país não pode ficar sem comando

Publicado por Jailson Rodrigues em 18 de abril de 2016 às 11:36

Compartilhar
[whatsapp]

O presidente em exercício do PMDB, senador Romero Jucá (RR), disse nesta segunda-feira (18) que o Senado deve dar “a urgência necessária” à tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A admissibilidade da denúncia de crime de responsabilidade contra a presidente foi aprovada nesse domingo (17) pela Câmara dos Deputados por 367 votos favoráveis e 137 contra.

O relator-geral do Orçamento, Romero Jucá (PMDB-RR), fala à imprensa

Para o peemedebista, que é segundo vice-presidente do Senado, o país não pode ficar sem comando. “Devemos agir dentro do regimento mas, é claro, dando a urgência necessária que o caso requer, porque não podemos ficar com a presidente desautorizada pela Câmara e sem o processo andar no Senado, com o país sem comando. É algo muito perigoso”, disse Jucá.

Após a aprovação da admissibilidade pela Câmara, o parecer será enviado ao Senado ainda hoje. Depois de lido e publicado no Diário Oficial da Casa, os líderes terão 48 horas para indicar os 21 membros para compor a comissão especial que analisará, em dez dias, a aceitação do pedido. Se aprovado pela comissão e depois pelo plenário, por maioria simples dos presentes, Dilma será afastada do cargo por 180 dias.

Rejeição a Temer
Jucá minimizou as críticas feitas por aliados do governo ao vice-presidente da República Michel Temer. “A discussão não é Michel Temer, mas a Constituição. O Michel Temer é o vice-presidente, portanto, ele assume [caso confirmado o impeachment pelo Senado]. Como Itamar [Franco] assumiu quando o Collor foi cassado. A discussão não é Dilma ou Michel, é se Dilma fica ou sai. Se Dilma cometeu ou não crime. Na minha visão, cometeu crime de responsabilidade, fiscal, contábil, contra a sociedade brasileira e, portanto, ela tem que ser responsabilizada. Em sendo responsabilizada, a Constituição diz que o vice assume”, disse.

Agência Brasil

Compartilhar
[whatsapp]


Deixe seu comentário